41 3085-8810 contato@sinergiaengenharia.com.br

Situação atual da crise da água em São Paulo

Introdução

A Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), com 39 municípios e quase 20 milhões de habitantes, é a maior cidade do Brasil e da América do Sul. Dos 39 municípios, 31 pertencem ao Sistema Integrado de Abastecimento de Água, operado pela Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (SABESP).

A RMSP localiza-se numa região de baixa disponibilidade hídrica que exige importar água de bacias hidrográficas adjacentes. Quase a totalidade das demandas atuais de abastecimento de água é atendida pelo Sistema Integrado da SABESP, com oito sistemas produtores de água para as varias partes do território da RMSP. Desses oito sistemas produtores, o Sistema Cantareira é o maior e o mais importante, sendo responsável pelo abastecimento de mais de nove milhões de habitantes.

1. Situação atual das reservas hídricas

O Sistema Cantareira é responsável pelo abastecimento de quase metade da população da RMSP, nas zonas Norte, Central, partes das Zonas Leste e Oeste de Barueri a Guarulhos. As seis represas que o compõem estão interligadas em diferentes níveis por 48 quilômetros de túneis com o objetivo de aproveitar os desníveis e a acumulação da água por gravidade, com cerca de 1 165 trilhões de litros de capacidade total e 30 mil litros por segundo de capacidade nominal.

Todo o Sistema Cantareira e a quantidade de água disponibilizada para os moradores dependem das chuvas do verão. O ultimo verão foi um dos mais secos e quentes da historia e a situação permaneceu nos meses seguintes, quando há naturalmente menos chuvas na região. Entre novembro de 2013 e fevereiro de 2014, choveu em média 77,7 milímetros (mm) de água, a média histórica sendo de 214,3 mm. Isso quer dizer que no intervalo do ano mais úmido da região, só choveu 36,3 % do esperado.

Com pouca chuva e um maior consumo devido ao calor, os rios e represas do Sistema Cantareira caíram ao menor nível já registrado desde 1930. Em Agosto de 2013, o Sistema Cantareira estava a 53,2 % da capacidade total de armazenamento de água. Ultimamente, no dia 19 de outubro de 2014, o sistema baixou para o menor nível de sua historia, chegando a 3,6 % da capacidade total.

2. Causas e conseqüências da crise

A falta de água na RMSP tem causas conjunturais e estruturais. Em termos conjunturais, vimos que é devida a um verão muito seco. Em termos estruturais, a falta de investimentos nos equipamentos existentes e as várias decisões políticas que não sempre privilegiaram o meio ambiente perante períodos de eleições acabaram por deixar o Sistema Cantareira abaixo das capacidades necessárias ao crescimento econômico e populacional da RMSP nas ultimas décadas.

Mais da metade dos moradores da RMSP ficou sem água em casa em algum momento do ultimo mês, dificultando as atividades domésticas e comerciais.

Alguns números:

• 60 % dos paulistanos disseram ter ficado sem água pelo menos um dia nos últimos 30 dias,
• 38 % dos moradores sofreram com a torneira seca ao menos cinco dias no mesmo período,
• 56 % notaram que o corte de água aconteceu à noite e 40 % disseram que foi de dia.

Perante essa situação, foi decidida a captação do volumo de reserva (o volumo morto) do Sistema Cantareira para poder abastecer algumas partes da região. A captação desse volume morto gera vários problemas na utilização da água. Sendo um volume de reserva abaixo do nível de captação normal, os resíduos e os poluentes presentes na água armazenada caiem naturalmente por gravidade no fundo das represas. A água pode assim ficar imprópria para o consumo, especialmente para pessoas frágeis tais como crianças e pessoas idosas.

3. Soluções e medidas que todo mundo pode aplicar para melhorar a situação

Para evitar medidas radicais tomadas pela administração, como os racionamentos e o sistema de rodízio para utilização da água, é muito importante que cada um seja um morador responsável. A informação sobre medidas permitindo economias de água tem que ajudar os moradores a preservar as nossas reservas hídricas, o meio ambiente, e também realizar economias no fim do mês.

Existem milhares de jeitos de economizar água e cada um pode achar jeitos de economizar água.

Aqui seguem alguns exemplos:

• Equipar as bicas das torneiras de limitadores de fluxo para poupar água quando se lava louça, roupa, etc,
• Usar de maneira racional a água durante o banho, quando se lavar as mãos o se escovar os dentes. Isso quer dizer manter a torneira fechada quando estiver se ensaboando, por exemplo,
• Usar a maquina de lavar roupas na capacidade máxima,
• Captar a água da chuva, por exemplo no telhado da casa,
• Usar banheiros ecológicos secos para economizar a água das descargas dos vasos sanitarios clássicos, grandes consumidores de água,
• Evitar lavar carros, quintais, quando a água esta faltando,
• Verificar a instalação tubular para detectar vazamentos que podem aumentar o consumo de maneira considerável.
• Uma torneira aberta gasta de 12 a 20 litros/minuto. Pingando, 46 litros/dia. Isto significa 1 380 litros por mês. Pense em bem fechar as torneiras.

Desse jeito, cada um pode, no dia a dia, participar desse grande desafio que é a preservação da nossa água, indispensável a nossa vida. Entre no combate e não deixe a fatalidade guiar seus atos!

Bibliografia

http://site.sabesp.com.br/

http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/sistema-cantareira/

Os grandes números da falta de água em São Paulo

http://epoca.globo.com/colunas-e-blogs/blog-do-planeta/noticia/2014/06/crise-da-agua-em-sao-paulo-quanto-falta-para-bo-desastreb.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_Cantareira

Ludovic Freire Domingues é Engenheiro em Sistemas Urbanos e Ambientais, formado na Universidade de Tecnologia de Compiègne na França e na PUC-PR de Curitiba.
Atualmente, está procurando novas oportunidades de trabalho no Brasil.
Contato para mais informações: ludovic.domingues@gmail.com

2
Deixe um comentário

avatar
  Increver-se  
Notificar-me
Raimundo Crispim
Raimundo Crispim

É mais fácil secar as nossas Reservas Hídricas do que as pessoas se conscientizarem à cerca desta triste e catas trófica realidade, pois não obedecem os padrões éticos que a situação pede nesses períodos de escassez.

Se cada um fizer a sua parte de uma forma voluntária e sem coação, é óbvio que alcançaremos um bom resultado nestas circunstâncias. Estes fatos ocorrem, devido elevação do Aquecimento Global que a cada dia se intensifica, portanto temos que tomar cuidado pois a Água pode em nosso Planeta.

Raimundo Crispim dos Anjos
Raimundo Crispim dos Anjos

Retificando o enunciado anterior: Esta crise ocorre, por causa do Aquecimento Global que se propaga no Planeta em função da ação humana e Fenômenos Geológicos.
Portanto, é importante que as pessoas se conscientizem que se não houver controle na utilização
da Água, as consequências serão extremamente catastróficas,grande escassez desse Líquido Precioso no na Terra.

Notícias relacionadas

Ver mais notícias

Assine nossa newsletter

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Sinergia Engenharia!