41 3085-8810 contato@sinergiaengenharia.com.br

Medição de ruídos em áreas externas

As emissões de ruídos provenientes de qualquer atividade devem respeitar primeiramente a manutenção da qualidade de vida nos grandes centros urbanos. A saber:

A emissão de ruídos, em decorrência de qualquer atividades industriais, comerciais, sociais ou recreativas, inclusive as de propaganda política obedecerá, no interesse da saúde, do sossego público, aos padrões, critérios e diretrizes estabelecidos nesta Resolução. (RESOLUÇÃO CONAMA nº 001 de 08 de março de 1990).

Para a medição de ruídos em áreas externas a referida Resolução cita que o procedimento de amostragem deve ser realizado de acordo com o disposto na NBR ABNT 10.151 – Avaliação do Ruído em Áreas Habitadas visando o conforto da comunidade, trazendo ainda os limites máximos de emissões de ruídos, separados entre diurno e noturno e por tipos de áreas. Cabe ressaltar que a legislação municipal também deve ser considerada.

Algumas diretrizes para a medição de ruídos em áreas externas podem ser observadas a seguir:

  • Deve-se medir externamente aos limites da propriedade que contém a fonte;
  • Não devem ser efetuadas medições na existência de interferências audíveis advindas de fenômenos da natureza, tais como trovões e chuvas fortes;
  • O tempo de medição deve ser escolhido de forma a permitir a caracterização do ruído em questão;
  • A medição pode envolver uma única amostra ou uma sequência delas.
  • As medições devem ser efetuadas em pontos afastados aproximadamente 1,2 m do piso e pelo menos 2 m do limite da propriedade e de quaisquer outras superfícies refletoras, como muros, paredes etc.

A Sinergia Engenharia possui equipamento próprio para a medição de ruído.

Realize conosco o automonitoramento dos níveis de ruídos gerados por sua empresa e fique em conformidade com as legislações vigentes!

Continue lendo sobre Ruído Ambiental: Ruído Ambiental Urbano ou entre em contato conosco Clique aqui.

(04-08-2017)

Juliana de Moraes Ferreira é Engenheira Ambiental e Especialista em Gestão de Energia.

Juliana de Moraes Ferreira
Juliana de Moraes Ferreira
Engenheira Ambiental e Especialista em Gestão de Energia

1
Deixe um comentário

avatar
  Increver-se  
Notificar-me
Antonio Carlos Siba
Antonio Carlos Siba

Os problemas que inviabilizam tais aferições são a falta de organismos governamentais que atendam o pedido na hora em que a agressão ambiental está sendo feita, a colaboração de autoridades autorizando festas raves e dando cobertura para que não haja intervenção das autoridades, a falta equipamentos para medições etc…….

Notícias relacionadas

Ver mais notícias

Assine nossa newsletter

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Sinergia Engenharia!