41 3085-8810 contato@sinergiaengenharia.com.br

#Prayforamazon

O Brasil é um dos países mais ricos em diversidade biológica, tem a maior cobertura de floresta tropical do mundo, isso devido a floresta Amazônica, com 3 milhões de km² de área e a maior reserva de água doce. Dados para termos muito orgulho, mas não é o que vemos nos discursos dos governantes, infelizmente. Os discursos acabam não sendo em defesa do meio ambiente  e sim em não deixar que o mesmo seja um obstáculo para os produtores, mineradores e para as indústrias.

Recentemente vimos uma viralização nas redes sociais em defesa a floresta amazônica o que me inspirou a escrever esse texto, então vamos lá. 

Em 2008 foi publicado o Decreto nº 6.257 o qual fica o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES autorizado a destinar o valor das doações recebidas em espécie, apropriadas em conta específica denominada Fundo Amazônia, para a realização de aplicações não reembolsáveis em ações de prevenção, monitoramento e combate ao desmatamento e de promoção da conservação e do uso sustentável no bioma amazônico e os principais apoiadores são o governo da Noruega e da Alemanha.

O desmatamento na Amazônia Legal, caiu de 27,8 mil km² em 2004 para o menor resultado histórico em 2012, segundo reportagem do BBC que pode ser atribuída principalmente ao aumento da fiscalização, melhora do monitoramento por satélite, entre outros. E não estou querendo fazer alusão ao governo passado, mas uma política de combate ao desmatamento que deu muito certo. 

O desmatamento altera todo o clima, o ecossistema, o regime de chuva, temperatura, produção de alimentos e o mercado econômico. A Moratória da soja, por exemplo, que é um acordo feito entre organizações não governamentais, agroindústrias e governos com o compromisso de não comprar a commodity de áreas desmatadas, o acordo de não comprar carne de fazendas desmatadas, tudo isso interfere o planeta como um todo.

Segundo informações do Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (INPE) o desmatamento na Amazônia aumentou em julho deste ano em relação ao mesmo mês do ano de 2018, dados estes desacreditados pelos atuais governantes, mas aí me questiono se o melhor é procurar outra empresa para monitorar e gerar dados do desmatamento ou concentrar os esforços em ações de combate ao desmatamento?

O que está acontecendo é que os focos de queimadas na Amazônia cresceram 70% neste ano em comparação com 2018. O Brasil registrou 66,9 mil pontos de incêndio, sendo o maior índice desde 2013, (Medeiros, 2019) . 

# Prayforamazon. 

Maíra Caires Aquino
Maíra Caires Aquino
Engenheira Ambiental e Especialista em Construções Sustentáveis

Deixe um comentário

avatar
  Increver-se  
Notificar-me

Notícias relacionadas

Ver mais notícias

Assine nossa newsletter

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Sinergia Engenharia!