41 3085-8810 contato@sinergiaengenharia.com.br

Construções Sustentáveis – Processo de Certificação AQUA-HQE

Hoje há uma tendência que na concepção de empreendimentos comerciais e públicos se busquem soluções sustentáveis para proporcionar economia no consumo de água e de energia, através de fontes alternativas de reuso e aproveitamento. No entanto, construções sustentáveis vão muito além disso, visando escolha adequada de materiais e tecnologias de forma a diminuir custos e demandas de manutenções, compatibilidade da edificação com o contexto do local onde será instalada, minimização de incômodos à vizinhança em razão do período de construção e a manutenção do desempenho ambiental almejado no início da concepção dos projetos.

Diante disso surgiram diferentes iniciativas para criar certificações para construções que apresentassem características de sustentabilidade e por isso fossem reconhecidas de forma diferenciada pelo mercado.

Dentre as certificações utilizadas no Brasil hoje, destaca-se a Certificação do Processo AQUA, adaptação da Certificação HQE (francesa) à realidade brasileira feita pela Fundação Vanzolini, integrante da Universidade de São Paulo – USP. Compreende metodologia de avaliação global do empreendimento, visando a Alta Qualidade Ambiental do edifício, desde sua concepção até sua operação. Hoje são 26 empreendimentos certificados e mais de 150 em processo de certificação no Brasil.

A avaliação do empreendimento ocorre através de 14 categorias, dividida em 4 subgrupos: eco-construção, eco- gestão, conforto e saúde. A eco-construção abrange as categorias 1) Relação do edifício com seu entorno, 2) Escolha integrada de produtos, sistemas e processos construtivos e 3) Canteiro de obras de baixo impacto ambiental. O grupo eco-gestão é composto por quatro categorias: 4) Gestão da energia, 5) Gestão da água, 6) Gestão de resíduos de uso e operação do edifício e 7) Manutenção –permanência do desempenho ambiental. Sobre conforto, são as categorias 8) Conforto higrotérmico(conforto do usuário em relação à temperatura, à umidade e à velocidade do ar), 9) Conforto acústico, 10) Conforto visual e 11) Conforto olfativo. E sobre a saúde são outras três categorias: 12) Qualidade sanitária dos ambientes, 13) Qualidade sanitária do ar e 14) Qualidade sanitária da água.

Cada categoria é dividida em subitens, que por sua vez é dividido em preocupações ambientais a serem atendidas. Estas preocupações são de diferentes níveis de Qualidade Ambiental do Empreendimento – QAE: Base (B), Boas Práticas (BP) ou Melhores Práticas (MP). Geralmente preocupações de nível B estão relacionadas às exigências legais e de órgãos competentes já feitas em relação aos empreendimentos a serem construídos. Já os níveis BP e MP tratam de aprimoramento da construção além do que é exigido por lei. Para um empreendimento ser certificado, é necessário que sejam atendidas três categorias de nível MP e 4 categorias de nível BP. O empreendedor deve, no início do processo de certificação AQUA, definir o Perfil Ambiental, ou seja, determinar em quais categorias almeja alcançar nível QAE B, BP ou MP.

Antes, todos os empreendimentos que atendessem a essas quantidades mínimas em cada nível eram certificados da mesma forma daqueles que apresentavam mais do que três categorias de nível MP e 4 categorias de nível BP. No entanto em recente atualização, foi determinado que dependendo da quantidade de categorias em cada nível QAE, a Certificação poderá ser “Pass”, “Good”, “Very Good”, “Excelent” e “Exceptional”.

Outro diferencial Certificação AQUA é que junto com as exigências de Qualidade Ambiental, é previsto o Sistema de Gestão do Empreendimento – SGE: no início das discussões sobre projetos, deve-se prever de que forma serão conduzidos os trabalhos demandados pela certificação, como a metodologia para pesquisa e escolha de materiais e previsão de formas de controlar a aplicação das preocupações da certificação ao longo de todo o desenvolvimento do empreendimento.

A elaboração do SGE integra a fase de Programa da Certificação, na qual também deve ser previsto especificamente quais categorias itens e subitens será almejado qual nível de QAE (Base, Boas Práticas ou Melhores Práticas). Esta fase ocorre na etapa de estudo de planos de massa do empreendimento. Já na fase Concepção, devem ser apresentados os projetos do empreendimento comprovando atendimento àquilo que foi previsto pelo SGE e pelo QAE na fase Programa. A terceira fase, Realização, ocorre após o término da construção do empreendimento. Pode ser feita ainda a certificação de Uso e Operação do Empreendimento, a qual ocorre em outras duas fases: Programa de Uso e Operação e Operação do empreendimento.

Em cada uma destas fases, o empreendedor deverá apresentar documentos que comprovem o atendimento à Certificação e apresentá-los à Fundação Vanzolini em auditorias. Nestas, os documentos são enviados à Fundação e depois auditores verificam atendimento in loco.

Como são exigências em temas diferentes dentro do conceito global de empreendimento de alta qualidade ambiental, a Fundação Vanzolini disponibiliza cursos de formação, onde aquele que foi aos cursos de Introdução, Sistema de Gestão do Empreendimento e Construção ou Uso e Operação são considerados Assistentes AQUA, habilitados a assessorar o empreendedor a seguir a certificação e elaborar documentos pertinentes. O Assistente AQUA possui responsabilidade compartilhada com o empreendedor e deve intervir no desenvolvimento do empreendimento para assegurar alterações necessárias visando atendimento ao Perfil Ambiental almejado.

Pela experiência da minha equipe com a Certificação AQUA, é muito importante que o desenvolvimento dos trabalhos ocorra ao mesmo tempo em que são elaborados os estudos de massa e projetos pela equipe de arquitetura. Isso porque para atendimento à Certificação, encontram-se soluções diferenciadas que impactam significativamente a elaboração de projetos, e para evitar retrabalhos é importante manter o diálogo constante.

Outra vantagem deste bom relacionamento entre equipes é que podemos já buscar fornecedores de materiais e produtos que atendam ao que estamos buscando conforme o Perfil Ambiental almejado, adiantando informações mais específicas dos projetos e também avaliação de viabilidade técnico-financeira antes de chegar aos projetos finais.

Embora as certificações proporcionem este benefício de uma forma mais sistemática e garantida por entidade independente, há uma preocupação maior, tanto em incorporadores como em gestores de empreendimentos já construídos, em implementar soluções que diminuam o impacto ambiental e financeiro, como consequência da crise recente no mercado imobiliário e ajustes fiscais em serviços públicos. Porém, esta busca pela diminuição do consumo de água e energia também tem influência na melhor escolha de materiais e tecnologias para que gerem menor demanda de manutenção e por isso também há procura pela consultoria na escolha de materiais e detalhamento de projetos. Existe ainda muito interesse em adaptar empreendimentos já existentes para um melhor desempenho, que assim como as outras procuras também faz parte do conceito global trazido pela Certificação AQUA.

Portanto hoje se reconhece a importância de usar conceitos de construções sustentáveis na construção ou revitalização de empreendimentos, e a Certificação do Processo AQUA possibilita canalizar os esforços para obter a efetiva sustentabilidade nas edificações, chegando-se a estratégias assertivas e que terão execução controlada ao longo de todo o processo do empreendimento, desde o estudo do local até a entrega da obra.

(24/04/2015)

Larissa Carréra é graduada em Engenharia Ambiental pela Universidade PUC-PR,  fez pós-graduação em Construções Sustentáveis na UTFPR de Curitiba, atua com consultoria ambiental desde 2010 e com a Certificação AQUA desde 2013. Atualmente é integrante da Equipe de Assistentes AQUA da Aurion Engenharia.

 

Deixe um comentário

avatar
  Increver-se  
Notificar-me

Notícias relacionadas

Ver mais notícias

Assine nossa newsletter

Cadastre seu e-mail e receba conteúdos exclusivos da Sinergia Engenharia!